Tijolos Ecológicos: A Nova Onda Eco-Capitalista de Construção Sustentável

Home \ Construção Civil \ Tijolos Ecológicos: A Nova Onda Eco-Capitalista de Construção Sustentável

“Possui como principais diferenciais redução de emissão de CO², redução de resíduos na obra e pode reduzir os custos finais da alvenaria da edificação em até 40%, devido ao seu padrão estético e sistema de encaixe” (Renato Oliveira)

A tendência da sustentabilidade permeia toda a ótica atual de negócios, pois é, de certa forma, uma exigência mundial, que traz praticidade, ao mesmo tempo em que propicia respeito ao meio ambiente, e o ramo da construção não fica de fora dessa inclinação.

Nesse contexto estão inseridos os tijolos ecológicos, que são assim denominados, pois a sua fabricação não exige a queima em forno, evitando, portanto, a combustão de madeira e emissão de gases poluentes, o que acaba por torná-lo em um produto de fabricação sustentável, servindo de base para o seu nome comercial.

Eles são produzidos a partir de resíduos gerados pela construção, ou até mesmo resíduos menos usuais em canteiros de obra, como cinzas do bagaço da cana-de-açúcar, couro, borracha, raspas de pneus, fibra de coco do babaçu, dentre outros, reforçando ainda mais seu aspecto sustentável, e são submetidos a uma pressão de compactação em prensa (sem a queima).

Quais são os tipos de tijolos ecológicos existentes?

Os três principais tipos comercializados pelas empresas são: o tijolo modular, o meio tijolo e o tijolo canaleta.

O tijolo tipo modular, também chamado de solo cimento, é o utilizado na vedação das paredes, são assentados na cola e seus furos servem como passagens para as instalações elétricas e hidráulicas, sendo, via de regra, deixado aparente, em razão de sua estética. 

 

                

 

O tipo meio tijolo é utilizado para terminação de paredes internas, janelas e portas. A grande vantagem do meio tijolo é a agilidade, por não precisar de cortes ou quebra para encaixe na parede.

 

 

Os tijolos tipo canaleta são utilizados como parte do sistema estrutural, como verga e contraverga de janelas e portas, canaletas para as cintas de amarração e para a passagem vertical e horizontal de dutos hidráulicos e eletrodutos.

 

                                   

Por que utilizar os tijolos ecológicos?

Os principais substratos para fazer o tijolo ecológico são cimento, terra e água ou, como dito acima, resíduos sólidos orgânicos, não tão usuais na construção civil.

Justamente, por utilizar materiais mais simples, os tijolos ecológicos acabam sendo uma alternativa sustentável para a construção e, especialmente, no sentido de oferecimento do negócio, como diferencial num mercado tão competitivo e acirrado e que busca, cada vez mais, vias sustentáveis de atuação.

Trabalhar com os tijolos ecológicos gera benefícios para as duas partes da equação envolvidas no processo construtivo.

Isso porque, quando se busca reutilizar resíduos, agregando valor novamente aos mesmos, que seriam descartados, estar-se a reduzir os problemas ambientais pela dificuldade que esse descarte acarretaria, o que, também, por consequência, acaba gerando para o cliente uma obra mais limpa, com o mínimo de entulhos.

Para o cliente, também ressalta-se a questão da economia, uma vez que, na construção com tijolos ecológicos se utiliza menos material, em média, 70% menos do concreto e argamassa de assentamento utilizado na alvenaria convencional e 50% a menos de ferro, assim como o fato de deixá-los aparentes, em razão de seu padrão estético decorativo, proporciona economia na fase final de acabamento, com a desnecessidade de revestimento.

O tijolo ecológico chega a ser até seis vezes mais resistente do que o tijolo comum; ao passo que sua leveza alivia o peso sobre a fundação, evitando gastos desnecessários com estacas mais profundas e sapatas maiores, mais uma vez, ocasionando economia para o cliente e celeridade na execução da obra.

Ainda, ressalta-se que, o design dos tijolos permite que as instalações elétricas e hidráulicas sejam embutidas e postas paralelamente ao assentamento, evitando cortes posteriores, o que também gera economia, pois a contagem de tijolos não precisa ser auferida em números tão superpostos ao cálculo estrutural, pois as perdas serão mínimas.

No momento de erguer as paredes, não será necessária a aplicação de pilares e vigas, o que torna o processo de execução mais rápido, embora não se dispense os pilares de canto.

Outra vantagem da utilização dos tijolos ecológicos nas construções é o isolamento acústico e térmico que eles proporcionam para a residência, devido as câmeras de ar existentes na alvenaria por seus furos.

A celeridade na execução da obra é, sem dúvida, uma das vantagens mais alardeadas quanto ao uso dos tijolos ecológicos, isso porque, o formato desses tijolos, com furação vertical, são intuitivos, demonstrando claramente como devem ser encaixados, o que permite uma execução, além de mais econômica, com menos utilização de argamassa e outros produtos ligantes, como já dito, também mais rápida.

Assim, vê-se que, nessa busca pela criação de novos produtos que diminuam o impacto ambiental, surgiu o “tijolo ecológico” como alternativa, que além de causar menos danos ao meio ambiente, ainda promove economia financeira para a empresa e consumidores.

 

Gostou do nosso artigo? Já conhecia os tijolos ecológicos? Já utilizou em sua obra? Deixe seu comentário e vamos debater a respeito. 

ABOUT THE AUTHOR: Projetos Paraiba LA

RELATED POSTS

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *